Pattinson Daily: Io Donna: Interpretar Stock era é um desafio ainda mais emocionante do que interpretar Dean
O "Pattinson Daily", é a sua maior fonte de notícias sobre o ator Robert Pattinson no Brasil.
Textual description of firstImageUrl

Io Donna: Interpretar Stock era é um desafio ainda mais emocionante do que interpretar Dean

28 de julho de 2015


Robert Pattinson nel film su James Dean, ma non lui non è la star. «Meglio così»
"Twilight? Tenho orgulho de ter sido parte disso. Eu não sou mais obrigado a buscar um trabalho como eu fiz antes de Harry Potter e o Cálice de Fogo. Depois que a fama surgiu fiquei mais à vontade, também no lado econômico, para selecionar apenas os projetos em que acredito. E Life é a prova disso."

Robert Pattinson está trabalhando muito. Ele quer muito se distanciar do papel de ídolo teen da saga que ele certamente aprecia, mas que ainda pesa sobre a sua credibilidade como um ator. Essa impaciência é percebida na forma como ele sublinha as palavras. O tom de voz é baixo, ele olha para baixo, para ter tempo de procurar uma resposta não muito trivial. Claro, seu olhar falso-desalinhado ajuda (barba e cabelo comprido, mas não de forma desleixada, há muito gel e as costeletas são bem cuidadas), mas ele parece genuíno, especialmente quando ele fala sobre Life, o seu mais recente filme (nos cinemas á partir de 30 de setembro, dia do aniversário da morte de James Dean). Pattinson interpreta o fotógrafo Dennis Stock na época do ano de 1955, com a sua amizade turbulenta com a estrela, a mesma que lhe deu a oportunidade de retratá-lo exclusivamente em Nova Iorque (lembra da famosa foto do ator com o cigarro na chuva com o Trafalgar Square no fundo?) e em sua casa de infância em Indiana.

O filme é centrado na história prévia desta amizade e é dirigido pelo holandês Anton Corbijn, que não é apenas o diretor, mas também é um fotógrafo apreciado entre as estrelas da música. James Dean é interpretado por Dane DeHaan, um dos nomes emergentes em Hollywood, enquanto a única personagem feminina relevante é Pier Angeli, uma atriz italiana dos anos cinquenta, que foi interpretada por Alessandra Mastronardi.

Qual o efeito teve sobre você em ser o fotógrafo e não ser o tema das fotos?
Eu percebi o quanto pode ser difícil lidar com uma estrela. Quando você está no tapete vermelho, você realmente não precisa nem ver os fotógrafos, você se move e faz algumas poses, muitas vezes estudadas, mas você não pode ver os rostos, você só vê os flashes. É claro que não foi fácil para um fotógrafo desse tempo, assim como certamente não é hoje. No entanto, Dean foi capaz de manter sua vida privada o suficiente escondida. Era uma época diferente, mas não havia menos ganância para conhecer os detalhes íntimos de sua vida diária do que é hoje em dia.

Ídolo da geração jovem, bonito, certamente não é um "bad boy", mas tem um charme rebelde. Quando recebeu o roteiro, você achou que seria a pessoa certa para o papel de James Dean?
Eu acho que eu poderia pensar sobre isso, mas não seria a escolha certa para o bem do personagem, assim como para mim. Eles iriam começar as comparações, eu seria acusado de presunção e talvez eu  não seria capaz de dar aquele pequeno toque que DeHaan conseguiu dar. Do meu ponto de vista,  interpretar Stock e sua indescritível maneira de se relacionar com alguém, que era uma forma encantadora, magnética, era é um desafio ainda mais emocionante do que interpretar Dean.

No momento da história Stock tinha 27 anos, ele já era um pai e ele teve que escolher entre trabalho e família enquanto perseguia seu sonho de se tornar um fotógrafo realizado. Você tem quase a mesma idade, 29 anos, á é famoso e nada de "família": parece que não pode haver um personagem mais distante...
À primeira vista, sim, mas estas não são as características que mais definem uma pessoa. Tanto o sucesso como se tornar um pai são variáveis que dependem de você, ou melhor, não só de você. Você precisa de sorte e encontrar uma pessoa que, além de amor, quer as mesmas coisas que você quer na hora que você quiser. Stock foi como eu na determinação de querer ser um artista, e também no embaraço inicial, que muitas vezes eu sinto quando me relaciono com alguém pela primeira vez.

Você é uma pessoa tímida?
Não, mas eu preciso de algum tempo para me abrir para alguém.

Mesmo romanticamente?
Com qualquer pessoa, mesmo no amor.

Você teme que o rótulo de "aquele cara de Twilight" possa afetar negativamente o seu futuro em atuar?
O sucesso de Crepúsculo é algo especial que eu nunca vou me arrepender. Desde que comecei essa carreira que eu estou tentando melhorar a mim mesmo, me desafiar com papéis diferentes em comparação com aqueles que já interpretei. Se em 10 anos eles continuarem falando de mim ainda como "aquele cara de Twilight", a culpa será só minha.

Fonte | Via | Tradução: Pattinson Daily