Pattinson Daily: Nisimazine: The Childhood of a Leader vai polarizar o público
O "Pattinson Daily", é a sua maior fonte de notícias sobre o ator Robert Pattinson no Brasil.
Textual description of firstImageUrl

Nisimazine: The Childhood of a Leader vai polarizar o público

15 de setembro de 2015


Depois de Freud e Jung, se tornou de conhecimento comum (e, provavelmente, um pouco demais) que nossa infância tem um impacto inevitável em quem nos tornamos. De onde viemos, como nós crescemos e que tipo de relações tivemos com nossos pais, influencia profundamente a nossa personalidade. Em referência a essa teoria, o primeiro filme de Brady Corbet coloca uma questão: De onde é que os ditadores do século XX vem?

Uma família americana vem para a França logo após a 1ª Guerra Mundial, a maior guerra que a Europa tinha visto até aquele ponto. Estabelecem-se no campo, uma vez que o pai trabalha em Paris na equipe do presidente Wilson, na negociação do Tratado de Versalhes. Enquanto isso, a mãe está tentando lidar com seu filho desobediente The Childhood Of a Leader é o primeiro longa-metragem de Brady Corbet como diretor, mas ele já tem uma filmografia bastante impressionante como ator. Um de seus papéis mais conhecidos foi em Funny Games de Michael Haneke. Seu filme de estréia como diretor não trata de um ditador específico, não segue estritamente a biografia de alguém. É mais um ensaio ou um conto, uma variação sobre o assunto, um comentário, vagamente baseado em um conto de Jean-Paul Sartre, com o mesmo título.

O filme começa com adornos de músicas orquestral, dinâmico brilhantemente editado com a metragem real da 1ª Guerra Mundial e seu fim há muito esperado. Ele coloca a história da família no contexto e o espectador em agitação. O filme é muito distintivo visualmente. O frio severo do campo francês, onde a casa está localizada, parece representar a Europa depois da guerra: destruído, faminto, estéril. A casa é uma enorme mansão à moda antiga, cheia de móveis de madeira pesada. Com o conjunto de concepção austera e iluminação mínima, a cinematografia lembra pinturas realistas de mestres holandeses e franceses. Às vezes, a câmera se move, flui livremente em um tempo muito longo, mostrando elementos aparentemente sem importância até parar e apontar algo ou alguém crucial.

Bérénice Bejo está brilhante como uma mãe áspera e ambiciosa, com educação conservadora e fortes convicções católicas. Juntamente com o jovem ator talentoso Tom Sweet, que interpreta o filho, eles criam um dueto de atuação notável, onde eles lutam entre si pelo poder. Também Liam Cunningham é convincente em seu papel de um patriarca típico: estrito, dominante e às vezes violento. Infelizmente, o filme não consegue manter a qualidade de atuação durante todo o tempo. Isso e o ritmo, que retarda um pouco demais às vezes, faz o filme um pouco desequilibrado.

Considerando-se a co-operação anterior de Corbet com Michael Haneke, não pode ser acidental que o filme carregue traços de inspiração com as obras do diretor austríaco, especialmente com The White Ribbon. O tiro através da porta, quando o pai quer ensinar ao filho uma lição, parece ser uma referência direta ao filme de Haneke. Corbet deixa a porta aberta, enquanto Haneke faz seus personagens fechar.

The Childhood Of a Leader é um filme que vai polarizar o público. Alguns podem dizer que é pretensioso, o que não é inédito em um caso de um diretor de primeira viagem, mas eu acho que é um início corajoso e intrigante da carreira de um jovem cineasta.