Pattinson Daily: TLAB: Queen of the desert é um épico de alcance considerável
O "Pattinson Daily", é a sua maior fonte de notícias sobre o ator Robert Pattinson no Brasil.
Textual description of firstImageUrl

TLAB: Queen of the desert é um épico de alcance considerável

27 de novembro de 2015


A estreia mundial de "Queen Of The Desert" de Werner Herzog de foi recebida com algumas críticas no Festival de Berlim em fevereiro, no entanto, foi indicado para o Urso de Ouro. Então, eu assisti a essa exibição com particular interesse para ver o trabalho deste autor e mestre diretor e escritor. Ao filme foi dada uma exibição especial à noite no Teatro Dolby para AFI FEST, com uma grande dose de expectativa entre os entusiastas do cinema. Ele foi muito bem prestigiado, com quase todos os assentos ocupados para a estreia norte-americana de Queen Of The Desert. O filme foi apresentado por Werner, ele próprio, à uma multidão muito atenciosa.

Ficou claro desde o início dos créditos que o alvo do filme era para ser épico em sua grandeza, quando a música rolou e as imagens piscaram através da enorme tela do Dolby Theatre. Nicole Kidman interpreta Gertrude Bell, uma mulher jovem, que frequentou e se formou na Queen's College em Londres, e, posteriormente, no Lady Margaret Hall, Oxford University. Torna-se óbvio que com este fundo educacional que ela estava se contraindo pela arquitetura social da classe alta da Inglaterra vitoriana com opções insustentáveis e limitadas para o casamento. A narrativa de Werner usa isso como um elemento-chave motivando-a a pedir que seus pais lhe permitissem deixar a Inglaterra e encontrar aventuras para si mesma.

Gertrude deixa o conforto e constrições da Inglaterra para encontrar uma nova vida em Teerã, Pérsia, agora conhecido como o Irã, ficando com seu tio Sir Frank Lascelles, que foi ministro britânico. Lá ela encontra alguém com o mesmo intelectual que o seu, Henry Cadogan, interpretado por James Franco, que tem um fascínio por arqueologia e pela poesia persa. Ele é a sua alma gêmea, o propenso romance com calor e paixão, eventualmente, tem um fim desfavorável. O corpo da história depois que seu romance termina, com a morte abrupta e inexplicável do personagem de James Franco, Henry Cadogen, envia Gertrude em várias expedições em todo o Oriente Médio para mapear a área, para aprender a cultura e na língua local dos beduínos, incluindo ocasionalmente espionar as várias tribos beduínas em toda a região.

Essas tribos não são de forma culturalmente homogêneas, e estavam geralmente em guerra uns com os outros, tornando-se um mistério considerável para o Império Britânico. Durante essas aventuras, Gertrude encontra um benfeitor e, eventualmente, um pretendente em Charles Doughty-Wylie, interpretado por Damian Lewis. Durante sua aventura, ela fez amizade com TE Lawrence (Lawrence da Arábia) interpretado por Robert Pattinson. Esta reunião de Gertrude e Lawrence foi na cidade de Petra, solidificando esses personagens em uma parte reconhecível do Oriente Médio que os ocidentais estão familiarizados.

Houve momentos em Queen Of The Desert que a trilha sonora cresceu com sua orquestração, e parecia fazer referência a Lawrence da Arábia, no seu sentido de grandeza e estilo. Esses movimentos musicais eram, na verdade, um pouco de distração. O filme é divertido e oferece uma visão interessante de uma mulher incrível em uma parte crucial da história do mundo, mas Queen Of The Desert não têm o mesmo peso cinematográfica como a história de Lawrence da Arábia ou as performances de Peter O' Toole e Omar Sharif.

Queen Of The Desert examina a desintegração do Império Otomano, e revela como foi a junção do Oriente Médio como é hoje, do ponto de vista da heroína. O filme passa uma dose significativa de tempo na construção política de Winston Churchill sobre o Oriente Médio, guiada pelo conhecimento e compreensão sobre as tribos beduínas e cultura por TE Lawrence e Gertrude Bell, mas nunca totalmente clarificado, porque o foco da história visa as aventuras de Gertrude.

O foco principal do filme está na parte anterior da vida e nas aventuras de Gertrude, e sua vida amorosa infeliz, uma vez que culmina com a morte de seu amante, Charles Doughty-Wylie, no final da Primeira Guerra Mundial. O filme foi recebido com crítica dura. É a minha opinião o que Geoffrey Macnab escreveu no The Independent, quando afirma: "Este é o mais próximo que Herzog fez de um filme convencional de Hollywood - o que falta é a perversidade, energia e selvageria que geralmente são sua marca registrada." Queen Of The Desert ecoa as sensibilidades de um amplo drama mascarado, que nós como americanos estamos familiarizados, e tendemos a apreciar. Estas críticas sobre Queen Of The Desert exprimem que não é confuso o suficiente para um esforço de Herzog, ainda não é um grande épico de estúdio e clássico como Lawrence da Arábia. Existem alguns filmes que podem fazer as duas coisas, e menos ainda que fazem uma dessas escolhas bem.

O filme ainda possui o seu próprio meio para contar histórias e para o posicionamento de uma mulher, especialmente uma como a construção da história e com tal estatura heroica como Gertrude Bell em um grande lançamento do filme. Gertrude de Nicole Kidman é uma figura feminina heroica convincente que lida com a vida em seus próprios termos. Quer seja sair de um mundo sufocante vitoriano ou encontrar um lugar dentro dos confins das tribos de beduínos nômades e da cultura árabe, ela continua a ser a mestre de seu próprio destino. Queen Of The Desert é um épico de margem considerável e em um período excepcionalmente interessante no tempo que é muitas vezes esquecido na história americana. Herzog parece capturar o zeitgeist do período e a fabricação de uma heroína em uma época em que poucas mulheres se aventuraram além de suas casas.

*Zeitgeist significa espírito de época, espírito do tempo ou sinal dos tempos. É uma palavra alemã. O Zeitgeist é o conjunto do clima intelectual e cultural do mundo, numa certa época, ou as características genéricas de um determinado período de tempo.