Pattinson Daily: The Childhood of a Leader é uma obra-prima
O "Pattinson Daily", é a sua maior fonte de notícias sobre o ator Robert Pattinson no Brasil.
Textual description of firstImageUrl

The Childhood of a Leader é uma obra-prima

11 de fevereiro de 2016

Esse review é de exclusividade do RPWW, uma das staffs do site, foi ao IFFR e assistiu a exibição do filme. Decidimos traduzir, porque essa foi de longe, uma das melhores e mais detalhadas críticas de The Childhood of a Leader. Infelizmente, por não querer passar mais spoiler do que necessário. Cortamos algumas partes, que vocês podem conferir na fonte.


A primeira coisa que vem à minha mente agora é: obra-prima.

Eu já vi um monte de filmes, já fui a um monte de estreias e eventos, mas este vai estar gravado em minha memória como nunca aconteceu antes. "The Childhood of a Leader" abre as portas para um talento incrível, Brady Corbet. Você pode acreditar que ele teve a ideia deste filme desde seus dezessete anos?! Adolescentes principalmente pensam em sair, e este homem incrível apenas começou a escrever um filme que é de longe o melhor filme que eu já vi na minha vida curta. (E eu prometo a você que eu não estou exagerando).

Vamos começar com o início e deixe-me explicar o que eu senti, mesmo que, vamos ser honestos, as minhas palavras não dão crédito suficiente para o que eu vi e testemunhei durante esta surpreendente noite de encerramento do IFFR.

Eu realmente li o livro"L’enfance d’un chef" de Jean-Paul Sartre, que, na verdade, inspirou Brady Corbet. Esta não é uma adaptação ou qualquer coisa assim, no entanto, por ao lê-lo, entendi muito facilmente o filme e seu tema. Mas isso não significa que você tem que lê-lo. O filme pode ser descrito como escuro, mas eu acho que é muito mais do que isso. O fato de que de acontece ao fim da Primeira Guerra Mundial, não significa que as questões dessa sociedade estão fora de nosso mundo contemporâneo e o próprio Brady Corbet disse no IFFR, que era uma história contemporânea.

"The Childhood of a Leader" é impressionante, incrível, brilhante e muitas mais palavras que não podem descrever. Eu fui cativada o tempo todo, nem mesmo me mexi na minha cadeira, porque a história é tão intrigante e bem escrita. Ela deixa você no final com um grande "De jeito nenhum!" ou "Sério?". Ao ver o filme você entra em uma época que você ouviu falar, algo que você igualmente tem medo todos os dias mas não pode dizer corretamente o que é porque nós não vivemos isto completamente. No entanto, você entra neste período com tal angústia, é intenso e assustador ao mesmo tempo, sem realmente deixar você com medo, se você entende o que quero dizer. E quando você espera que aconteça alguma coisa, não acontece. Tudo que foi escrito é surpreendente, refrescante e o estilo também é realmente incrível. A história realmente faz tudo isso e sabendo que Brady Corbet pensou neste filme quando ele tinha apenas 17 anos, fez-me simplesmente amar ainda mais o seu trabalho, porque prova que ele é e será para sempre um gênio! Ele é incrível!

Então, vamos começar, eu acho que uma boa parte do filme é em francês. Na verdade, eu queria perguntar a Brady sobre isso, mas meu tempo foi infelizmente limitado. De qualquer forma, uma boa parte do elenco é realmente francês (Bérénice Bejo, Stacy Martin, Yolande Moreau que interpreta a empregada, Jacques Boudet o padre) e traz a língua francesa que é fascinante e realmente incrível. O idioma tem um papel enorme no filme e algumas palavras cruciais aparecem em francês. O roteiro é equilibrado e direto ao ponto, que parece estranho. A maneira como os atores são, a iluminação e a forma como a câmara é tratada, faz você entrar diretamente no próprio filme. É como se fossemos testemunhas de tudo isso. [...]

Robert Pattinson. Aparece em 4 cenas (cerca de 10/12 minutos no total eu acho), em todos os períodos do filme. Mais uma vez ele me surpreendeu. Na primeira cena, eu imediatamente o reconheci e deixe-me lhe dizer, eu fiquei tão orgulhosa. O personagem Charles, parece tão fácil no início, parece que ele está lá, apenas lá. Não temos certeza do motivo, mas ele se mistura com a família, ligando-se estranhamente com a mãe... No entanto, este papel é o segundo principal papel, por algum motivo que eu não vou contar. Rob, como sempre, nos mostra outra personalidade, outro talento que ele tem. Ele se torna Charles Marker do início ao fim. A expressão, os gestos, a maneira como ele anda, o jeito que ele fala ou até mesmo a maneira como ele olha para os outros. Eu acho que nós realmente não percebemos como ele pode interpretar muitos personagens. Neste filme, mesmo que ele esteja desempenhando um papel pequeno, como ele gosta de dizer, é mais uma vez provado para nós fãs, que ele é um homem talentoso. Frieza, os olhos que mostram ausência e desconforto. Para ser honesto, nós tendemos a pensar que ele é o amante da mãe de Prescott. No entanto, é muito mais complexo e dá ao filme uma tal profundidade, bem como uma intensidade ao caráter, não podemos compreender até o último segundo. Rob interpreta lindamente. Não importa que ele não esteja em cada cena, ele apenas rouba as que ele está. É como um ímã. E sua presença faz com que todos estejam desconfortáveis, já que ele é um mistério e que interpreta essa parte tão brilhantemente, que rouba a sua respiração e apenas devolve após os créditos finais. Atuando no filme de Brady, prova mais uma vez que Rob sabe para onde vai e escolhe sabiamente todos os seus projetos. Um bônus para nós e uma colaboração maravilhosa com seu amigo.

[...] Eu não posso dizer que sou uma especialista em cinema, no entanto, deixe-me dizer-lhe que este filme merece ser conhecido e visto em todo o mundo. Tudo grita obra-prima e mesmo que tenha levado tanto tempo para Brady Corbet para fazê-lo, devo dizer que valeu a pena.

"The Childhood of a Leader" é uma obra-prima, criada e dirigida por um gênio, que sabia como escolher seus atores para criar uma atmosfera talentosa e este filme maravilhoso. Na minha opinião, é o melhor filme que já vi. Meu filme número um. Tudo sobre o filme, mostra o gênio que Brady Corbet é , prova que ele é tão talentoso que quase dói.

Matéria | Tradução: Pattinson Daily