Pattinson Daily: SCMP: Pattinson entrega seu melhor trabalho em Life
O "Pattinson Daily", é a sua maior fonte de notícias sobre o ator Robert Pattinson no Brasil.
Textual description of firstImageUrl

SCMP: Pattinson entrega seu melhor trabalho em Life

21 de abril de 2016



Provavelmente não há um diretor mais adequado para Life do que o cineasta holandês, Anton Corbijn. O ex-fotógrafo, que fez seu nome através de fotografias de bandas como U2 e Depeche Mode, entende profundamente a relação entre o fotógrafo e a estrela. Na verdade, a sua estréia de 2007, em Control, fala sobre o suicídio de Ian Curtis, vocalista do Joy Division, a banda britânica que ele tão indelevelmente fotografou em preto e branco no início da sua carreira.

Situado em 1955, o último filme de Corbijn espia através da lente a vida do ator James Dean (Dane DeHaan), à beira do estrelato, e Dennis Stock, um fotógrafo freelance cujo ensaio fotográfico na revista Life ajudou a consolidar o status de ícone de Dean. Em uma festa, Stock reconhece algo em Dean, e importuna seus editores para fazer uma reportagem sobre esta estrela em ascensão, pouco antes do lançamento de East of Eden.

"Você está perseguindo um ninguém", diz John Morris (Joel Edgerton), o chefe de Stock na agência de fotos Magnum, mas Life é mais sobre amizade do que a fama, como o inicialmente cuidadoso Dean e o perturbado Stock se encontram gradualmente um terreno comum. Stock se torna famoso por fotografar Dean na Times Square, mas são as cenas em que ele retorna com Dean para a fazenda de sua família no estado de Indiana, EUA, que realmente vemos Corbijn entrar na pele do ator.

Enquanto tragédia é ao virar da esquina - Dean morreu apenas sete meses depois, com 24 anos, em um acidente de carro - o filme é mais do que celebração de vigília fúnebre. DeHaan impressionantemente capta a essência de Dean, enquanto Pattinson entrega seu melhor trabalho desde Cosmópolis de David Cronenberg.