Pattinson Daily: Scan + Transcrição: The Childhood of a Leader em destaque na Total Film (edição 08/2016)
O "Pattinson Daily", é a sua maior fonte de notícias sobre o ator Robert Pattinson no Brasil.
Textual description of firstImageUrl

Scan + Transcrição: The Childhood of a Leader em destaque na Total Film (edição 08/2016)

6 de julho de 2016

Scan HQ



"Não temos a intenção de fazer um filme político", disse Brady Corbet. "... a intenção é apenas fazer um filme poético sobre política." Sem dúvida, o primeiro filme como diretor, do ator, The Childhood of a Leader, fez isso, por mostrar a educação de um menino por sua mãe alemã (Bérénice Bejo) e seu pai diplomata americano (Liam Cunningham).

Depois de atuar para Michael Haneke (Funny Games) e Lars Von Trier (Melancholia), os esforços ecléticos de Corbet são igualmente impressionantes como os de seus autores favoritos - incluindo uma participação especial de Robert Pattinson, com uma trilha sonora explosiva feita pelo ícone musical, Scott Walker. "O filme é basicamente um pouco de punk," Corbet observou. "Eu gosto de coisas muito fortes. Scott Walker também, então tudo foi colocado no volume máximo."

Com a revelação britânica, Tom Sweet, que interpreta Prescott, o menino com 7 anos de idade, a participação de Pattinson no papel de Charles Marker, um político local, que se torna gradualmente bem mais que um simples amigo da família. "É um filme muito escuro, mas ao mesmo tempo, também se parece com um filme de suspense,", disse Pattinson. "É estranhamente acessível." Como Corbet menciona, o envolvimento da antiga estrela de Crepúsculo foi crucial. "Em um certo ponto, a única maneira para o filme ser feito,era Rob estar envolvido."

Embora houvesse outros "membros no elenco de luxo" envolvidos - incluindo Juliette Binoche - Corbet ficou encantado com aqueles que finalmente assinaram, como a estrela do Nymphomaniac, Stacy Martin, no papel da Professora de Prescott. "O elenco foi muito favorável para o estilo formal do filme. Eu conheço um monte de atores que dizem 'não me fale da maldita câmera. Eu estou fazendo o meu trabalho. Você me filma'. Mas todos eram compreensivos."

"O resultado é um dos filmes de época mais incomum que você verá - uma parábola sobre o nascimento do fascismo durante os anos do período entre-guerras que se interpreta como We need to talk about Kevin." Só não espere que isso seja uma verdade histórica. "Nunca nos perturbou pegar emprestado diferentes eventos e fontes e combiná-las", disse Corbet. "Sempre tem uma versão da história. É sempre um pouco de ficção."

Fonte | Via | Via | Transcrição | Via: Pattinson Daily

Nenhum comentário:

Postar um comentário