Pattinson Daily: Nova entrevista do Robert para a Collider
O "Pattinson Daily", é a sua maior fonte de notícias sobre o ator Robert Pattinson no Brasil.
Textual description of firstImageUrl

Nova entrevista do Robert para a Collider

27 de abril de 2017

Clique para ver imagem em tamanho real
The Lost City of Z está sendo exibido nos cinemas de todo o país e recentemente me sentei com Robert Pattinson para uma entrevista exclusiva. Durante a ampla conversa, ele falou sobre como se envolveu no projeto; o motivo dele querer trabalhar com James Gray; como ele decidiu que seu personagem deveria ter uma barba épica; os momentos memoráveis de filmagens que incluíam uma épica caminhada de duas horas e meia às 3 da madrugada através de uma floresta escura; o por que ele não podia esperar para as pessoas verem o novo filme dos Irmãos Safdie, Good Time; sua experiência assistindo The Handmaiden; quando ele estará filmando "High Life" de Claire Denis; se ele gostaria de estar envolvido em um filme de super-herói, e muito mais.

Se você não estiver familiarizado com The Lost City of Z, o filme é baseado no best-seller de David Grann, "Z - A Cidade Perdida: Um Conto de Obsessão Mortal na Amazônia", que conta a incrível verdadeira história do explorador britânico Percy Fawcett (Charlie Hunnam), que viaja para a Amazônia no início do século XX e descobre evidências de uma civilização avançada, anteriormente desconhecida, que pode ter habitado a região. Apesar de ser ridicularizado pela comunidade científica que considerava as populações indígenas como "selvagens", o determinado Fawcett - apoiado por sua devotada esposa (Sienna Miller), filho (Tom Holland) e ajudante de campo (Robert Pattinson) - retorna uma e outra vez a sua amada selva em uma tentativa de provar seu caso, culminando em seu misterioso desaparecimento em 1925.

Carregado com performances excepcionais, cinematografia de tirar o fôlego, e um roteiro fantástico, eu absolutamente amei o filme e recomendo veementemente. É definitivamente um dos meus filmes favoritos de 2017.

Aqui está o que Robert Pattinson tinha a dizer:

Você não vai se lembrar disso, mas eu entrevistei você em Nova York para o filme Lembranças, em 2010. E agora você está de volta.
Deus. Foi há muito tempo, isso foi em 2010.

Sim. Há muito tempo.
Mas não parece que foi há tanto tempo assim.

O tempo passa muito rápido. Há algo que eu quero falar com você: Eu sou um legítimo fã de sua atuação. Uma das coisas que me impressionam são os filmes que você fez. Você está indo para papéis legais com bons diretores e você está indo atrás de scripts. Por exemplo, eu realmente gostei do seu trabalho em The Rover. E eu acho que uma das razões pelas quais muitos atores têm que trabalhar, você sabe, eles tem que pagar a hipoteca. E eu acho que um dos benefícios que você tem é que você ganhou essa liberdade financeira após uma determinada franquia e você é capaz de escolher os projetos que quer fazer. Você pode falar sobre o que você tentou fazer nos últimos anos como ator e os papéis que você está procurando para interpretar?
Sim, isso é completamente certo. Quero dizer, eu tenho sido muito feliz por ser capaz de fazer isso. Mas eu também acho que se você começa com um sucesso precoce, há sempre aquela parte de você que se sente como, "Eu preciso resolver o desequilíbrio, eu preciso ganhar esse sucesso depois disso" [risos]. E assim eu tento encontrar papéis que são difíceis, e continuo encontrando, mesmo depois de eu ter feito monte de filmes realmente diferentes, os diretores estão realmente surpresos que eu quero interpretar os papeis que eu quero. Eles simplesmente presumem que você quer apenas interpretar o cara bom e honorável que salva o dia ou morre no final [risos]. É como, não sei, eu apenas não acho que qualquer público gostaria de me ver fazendo isso, ou eu sempre acho que você tem que ter uma certa compreensão do que uma plateia gostaria de ver de você como uma pessoa pública, bem como um personagem. Então, sim, eu geralmente tento encontrar maneiras de ter meus personagens severamente castigados [risos].

Outra coisa, tenho falado com um monte de pessoas sobre ficar rotulado em um determinado tipo de papel e a única maneira que você pode quebrar esse rótulo é mostrar às pessoas que você não quer fazer apenas este papel novamente e novamente e novamente.
Sim, e é incrível também como as pessoas querem que você tenha um papel diferente, mas na maior parte do tempo os produtores ou diretores querem vê-lo desempenhar um papel semelhante, enquanto a única coisa que eu realmente quero fazer é pular descontroladamente de um lado para o outro [risos]. Mas então eu acho que estou apenas começando a resolver o tipo de área que eu quero estar dentro, eu sabia que ia demorar muito tempo, mas como este ano estou trabalhando com Claire Denis e depois eu provavelmente vou trabalhar... - eu não sei se posso dizer isso ainda [risos].

Sim. Não quero te meter em problemas. Mas ainda assim, faça-me um favor, diga.
Acho que vou fazer algo com Antonio Campos também. Você sabe quem é Antonio Campos?

Eu sei.
Sobre o papel que ele tinha - quero dizer, na verdade ele queria que eu fizesse um personagem diferente e eu estava tipo, "Não, este é o personagem." É absolutamente degenerado [risos]. Mas eu também interpreto algo semelhante com os irmãos Safdie. Eu não sei se você conhece o Safdies?

Não é muito familiar para mim.
Eles fizeram aquele filme chamado Heaven Knows, sobre viciados em drogas do lado oeste.

Eu definitivamente não vi, e eu não quero fingir que eu vi.
É incrível. Eu tenho um filme com eles que vai sair este ano, que é do mesmo tipo, eu não sei por que eles confiaram em mim, para atuar nele - é tão especificamente relacionado com o bairro Queens, e eu, obviamente, não sou familiarizado [risos].

Você não é de Nova York? Estou surpreso ao saber disso!
E todos são atores não profissionais no filme, e nós estamos muito bem...

Bem, American Honey fez um bom trabalho sem atores tradicionais.
Sim, eu acho que é a mesma pessoa. Elaine ou Jen, quem fez os castings? Deus, minha memória é uma merda Sim, eu acho que são as mesmas pessoas que fizeram a seleção para "American Honey." Mas muitas pessoas de "American Honey" vieram do filme dos irmãos Safdie, "Heaven Knows What".

 Oh, lá vai você. 
Sim. Mas ela é uma pessoa incrível em casting de rua, é incrível. E algumas das mesmas pessoas aparecem no filme "Good Time", e isso é uma loucura. Eu literalmente não posso esperar para o seu lançamento.

Era o que Megan estava dizendo.
Sério?

Ela estava dizendo, 'Você tem que ver este filme', e eu, 'Ok!'
É realmente muito divertido. Quero dizer, é meio desconexo, é tão substancial, mas você sabe, eu assisto tantos filmes e acho que muitos deles são muito previsíveis, e também, um pouco sem aventura.

É por isso que você deve ir ver Handmaiden.
Eu adoro Handmaiden. É incrível.

Se você quiser falar sobre filmes que dar voltas e voltas. Eu estava sentado no cinema, meu queixo caiu, seis vezes.
Não! Eu literalmente pensei que este filme era absolutamente incrível. E, no entanto, eu não sabia o que significava, e eu me lembro de vê-lo em um cinema de Nova York, e havia tantos velhos sujos e assustadores sentados ao redor [risos], e eu assistia e pensava: "O que? Este filme é sobre um sexo louco! Eu não tinha ideia!"

Mas você mencionou, que esse é o tipo de filme que você nunca mais fará na América. Talvez, eu nem sei se poderia ter sido feito na América.
Há um período em que podia ter sido feito, mas tipo…

Talvez no início dos anos 70?
Ou 80. Há muitos…

Oh, é verdade!
Sim, sim. Mas sim, eu só acho que - quero dizer, eu adoro ir a um cinema e apenas ficar tipo, Wow!, isso eu quero dizer, Embrace of the Serpent. Já viu?

Não, mas ouvi falar.
Inacreditável. Mas sim, não entendo. Mas este filme que eu fiz com os Safdies, é tipo muito subversivo, mas ao mesmo tempo é um filme de gênero real. Então eu acho que as pessoas vão vê-lo e ficar quietas, parece que é estranhamente acessível para um filme muito estranho. Então, espero que as pessoas gostem.

Bem, saltando para a razão de eu estar falando com você agora, vamos falar sobre o seu filme atual, The Lost City of Z.
Sim, desculpe!

Não, está bem! É que eu realmente gostei deste filme. Eu cheguei sem saber muito. Fui cativado do começo ao fim. Foi um papel que você buscou? James [Gray] veio até você? Como você se envolveu?
Eu estive com James um bilhão de vezes ao longo dos anos. Ele estava no meu top cinco de pessoas com quem eu queria trabalhar. Eu amei We Own the Night (Os Donos Da Noite), Two Lovers (Amantes) e tudo o que ele fez, realmente. Mesmo quando eu comecei a atuar, era o cara com quem eu queria trabalhar. Tenho estado ligado a um monte de coisas diferentes com ele. Com isso, ele me deu o livro e eu li e disse: "Sim, o livro é muito legal. Mas eu quero dizer tipo, que papel?" Porque naturalmente a pessoa não mencionou muito e eu era muito jovem quando ele me mostrou pela primeira vez, então eu estava tipo, "Uh, é o...?" Acho que inicialmente ele estava pensando em mim para interpretar o filho, e ele apenas manteve o desenvolvimento, mas ele nunca mencionou absolutamente que papel era [risos]. Mas sim, eu realmente queria trabalhar com ele e também com Darius Khondji.

Então de quem foi a ideia da barba, de perder peso, ou qualquer coisa que teve de fazer para se preparar para o papel?
Um. Sem controle de peso [risos].

Devemos mencionar que você está comendo amendoim M&M's.
E se não houvesse um gravador, eu apenas os colocaria na boca [risos]. Bem, a barba era porque Costin na realidade tinha um bigode vitoriano grande e assim eu, inicialmente pretendia ter um bigode, mas o Costin real era o tipo de homem forte, musculoso e baixo, e ter um bigode grande pareceria muito estranho naquele tipo de pessoa, com aquele tipo de corpo quando eu sou uma pessoa alta, magra, então terminaria parecendo com Noel Coward-ly. Então eu pensei que o bigode realmente não funcionaria. E então nós fizemos o teste de tela, e eu estava prestes a raspar a parte inferior, e James então disse, "Não, não! Não faça isso!" O que é estranho, porque eu acabo sendo o único soldado na Primeira Guerra Mundial com uma barba. [Risos] Não lhe era permitido ter barbas.

Liberdade artística, entendo.
É uma daquelas partes em que o filme de Charlie [Hunnam] é tão interessante e eu tinha uma tonelada de ideias sobre coisas, mas nada realmente importava até que eu pudesse ver a história que Charlie e James queriam contar. Eu tinha uma ideia muito específica do que a história era, era realmente muito diferente como acabou sendo dito quando estávamos fazendo o filme, e então eu estava apenas reagindo ao voo, e eu acho que de muitas maneiras isso fez com que meu personagem apenas seguisse o caminho

Eu tenho que te dizer, porém, é uma história incrível, mas estou tão impressionado com o cinema. Eu sei que vocês filmaram com câmaras de rolo (35Mm). Vocês se lembram de qual era o som da câmara? Porque ninguém filma com rolos, é tão raro.
Você sabe o que eu gravo sempre com câmeras de rolo. Em praticamente todos os filmes que eu faço são filmados com câmeras de rolo.

Mesmo?
Sim.

Até mesmo Good Time e Damsel?
Damsel não, mas...

High Life?
Eu não tenho certeza se ela vai filmar em câmeras de rolo (35Mm), mas Good Time foi. E Good Time foi filmado em 35Mm e nós estávamos todos filmando uma espécie de guerra, quer dizer, era uma loucura. Mas eu meio que sei, se alguém diz que vai filmar em 35Mm, ele provavelmente é um cineasta melhor. Eles são pretensiosos ou melhores [risos]

Acho que James desembarca no campo de que ele é um bom cineasta.
Quero dizer, ele não faria isso, é simplesmente impensável para ele gravar em qualquer coisa que não seja em câmeras de rolo.

O ponto é, aquilo pelo qual estou tão impressionado é que você filmou no meio daquela selva. Nós estávamos falando em localizações remotas para levar câmaras com rolos, é na linha do Apocalypse Now.
Mas esse é o ponto, porque eu filmei The Rover em rolo também, e realmente a tecnologia por trás de uma câmera analógica é muito mais resistente do que uma digital, especialmente no calor ou umidade ou qualquer coisa. Quero dizer, para ser honesto, todo mundo acha que uma câmera digital é mais confiável e toda vez que eu trabalho em qualquer filme, temos sempre muitos problemas, o cartão de memória não funciona ou blá blá blá, ele superaquece; tem o mesmo volume que outra câmera. Acho que as pessoas são pouco familiarizadas com elas. A única coisa é que leva muito, tempo, na maioria das vezes se você demora muito fazendo, provavelmente ficarão muito ruins [risos].

Contudo vou dizer que tenho visto, recentemente, algumas longas cenas em filmes e na TV que realmente me impressionaram, de fato foram bem feitas.
Há, definitivamente, uma forma se você realmente... se você estiver usando especificamente uma câmara digital por alguma razão que está na sua cabeça desde o início, sim, vai funcionar. Mas se você está apenas gravando um filme normal e filmando um material extra, pois você pode e porque você tem espaço de memória, é um pouco inútil. Eu acho que também há algo sobre - eu sempre me encontrei com filmes que aumentam a experiência, mesmo sabendo que é muito difícil trabalhar com ele, requer especialistas - quero dizer, uma câmara digital, também, mas quero dizer que há apenas algo sobre o fato de que você pode realmente ficar sem filme, então você tem que fazer algo.

Hugh Grant me contou uma história muito engraçada, que ele ainda fica muito nervoso quando as pessoas dizem "ação", especialmente quando a câmera está em movimento, porque você sabe que é tipo, "Atue!" Então ele pediu a AD ou as pessoas para dizer "Vai!" nunca mesmo "Ação", porque isto fica em sua cabeça. Então eu quero perguntar a você, você tem esse tipo de paralisação quando dizem "Ação"? Você tem algum tipo de neuroses? Ou pra você é tipo, "Estou dentro"?
Estou pronto antes. Eu sempre pensei que há um tipo interessante de jogabilidade com o onde e como você começa uma cena, onde a ação acontece. Eu realmente fico chateado quando alguém não diz "ação", porque eu só encontro toda essa confusão quando alguém diz tipo [sussurros] "Okay..." E então é tipo, "Oh, é uma porra? O que é Okay?" Basta dizer "ação", todo mundo diz "ação!" Tudo começa e todo mundo parece que começa a coxear na cena. Assim que você ouvir "ação" e então você está tão imediatamente na cena você pode realmente ditar o ritmo dela, porque todo mundo está pretenso a lhe ouvir ao mesmo tempo, é como uma corrida de 100 metros e você está ouvindo a pistola inicial, você pode usar isso para o desempenho.

Adoro perguntar sempre sobre coisas memoráveis das filmagens. Imagino que ao fazer The Lost City of Z, teve um ou dois momentos que você vai lembrar para sempre.
Sim, provavelmente a última cena, no último dia. Foi uma porcaria. Por algum motivo, fomos para lá na época chuvosa e as pessoas simplesmente não conseguiam entender como é que ia chover todos os dias. Tipo, "Vamos, pessoal, vai chover todos os dias! É a estação das chuvas! Vamos nos preparar para a chuva." E todos os dias havia essa confusão total quando começava a chover e de repente todos estavam, "WAHHH! Corram!". E nós esperamos sempre até tarde para irmos - Estávamos em pequenos barcos de lata, no meio de uma tempestade de raios, tentando descer o rio, quero dizer, era uma loucura perigosa. Mas no último dia, contudo, estava chovendo, na montanha, durante horas e horas, e de repente um dilúvio - como toda a chuva - começou a descer o rio, e o rio começou a subir e subir e subir e de repente estávamos em um pequeno banco de areia, foi durante a noite e estávamos numa reserva natural onde não tínhamos qualquer luz adequada, por isso tínhamos apenas algumas luzes alimentadas a pilhas, e mal conseguíamos ver alguma coisa e depois ficamos cobertos de pulgas de areia e outras coisas. E então, de repente, quando o rio ficou mais alto, todos esses crocodilos negros passavam por nós e tentavam entrar no banco de areia connosco, e todo mundo estava tentando carregar todo o equipamento da equipe de filmagens ao lado da margem do rio na floresta. E tivemos de fazer uma caminhada de duas horas e meia, às 3h da manhã, pela floresta com cerca de quatro tochas para cem pessoas para voltar para a cidade. Foi completamente insano. E foi muito divertido e uma experiência única.

É realmente bom que o filme se tornou tão grande. Porque se filmassem com todos esses desafios e depois o filme fosse uma porcaria...
De qualquer maneira, eu realmente não me importaria. Foi muito divertido de fazer, poderia ter sido divertido e um fracasso espetacular.

Estou muito feliz com o resultado. Você mencionou que tem projetos em desenvolvimento. Estou muito animado para High Life. Estou curioso, sobre o que você pensa do futuro, e é claro que vou te perguntar: a categoria super-herói é a coisa mais popular do planeta e tenho certeza que as pessoas devem ter discutido ou pelo menos feito um pequeno encontro com você. Essa é uma área que você quer entrar? Ou já teve o suficiente de franquias?
Sim, claro. Eu apenas sinto como é.... tem que ser bom e você também - É parcialmente a mesma coisa - eu sinto que você tem que conquistar algo do público. Se eu fiz isso agora, acho que os produtores de qualquer filme de super-herói, acho que eles não confiam em mim para fazer da maneira que eu gostaria de fazer, porque eu gostaria de fazer algo realmente estranho. Eu acho que você tem que ganhar essa liberdade para fazer coisas assim. Então, eu acho que, se eu continuar me afastando, tentando fazer bons filmes e filmes interessantes e estranhos, as pessoas acabam por confiar em mim para fazer isso em uma escala maior.

Eu ia dizer que posso ver você fazendo um bom antagonista em um filme de super-heróis, o que lhe permitiria talvez perseguir o estranho de uma forma que o protagonista não poderia.
Eu adoraria fazer uma espécie de super-herói, de quadrinhos, qualquer coisa se fosse uma peça original. É uma experiência muito diferente quando já há um público para isso. Sempre gostei de Guardiões da Galáxia. Adorei Guardiões da Galáxia.

E porque não?
É bom ter estes personagens que ninguém sabe exatamente como serão; é estranho quando as pessoas já têm expectativas. É estranho tentar e agradar as pessoas ao mesmo tempo.

Como foi com High Life? Foi o roteiro? Foi a diretora? O que te excita/anima no projeto?
Não consigo acreditar que vou fazer um filme com Claire Denis. Não entendo como consegui. Sinto-me como, eu continuo a pensar, 'Oh, eu sei que o financiamento vai cair,' e sei que agora está mesmo financiado. Mas também acontece de ser um dos tratamentos mais loucos e todas as pessoas envolvidas também. Eu não sei se você conhece o artista Olafur Eliasson.

Não estou tão familiarizado como você.
Se você ver o trabalho dele, a sua produção básica de uma nave espacial, buraco negro e coisas desse gênero. Já vi alguns testes e é inacreditável. E trabalhando com a Claire, é literalmente raro encontrar um diretor que nunca tenha feito um mau filme e eu realmente penso isso acerca da Claire e sobre tudo o que ela fez. É fascinante. É uma daquelas pessoas que eu nunca pensei ser real, ser capaz de fazer um filme com Claire Denis. Eu pensei que eles só existissem em outro lugar.

Estou muito feliz por você, que seja capaz de fazer. Acho que Mia Goth me disse que ia filmar em breve. Mas acho que ainda não estão filmando.
Sim, não. Aparentemente vamos começar em Agosto.

Espero que seja financiado.
[Risos]. Já são dois anos e meio!

Fonte | Tradução: Pattinson Daily
*Traduzido pela staff Nadine